Nesse site você receberá informações importantes sobre as cidades de Ouro Preto, Mariana e Itabirito!

Museu da Inconfidência de Ouro Preto: Principais Atrações, Curiosidades, Dicas

O Museu da Inconfidência de Ouro Preto tem várias atrações como o relógio de bolso foleado a prata que Tiradentes usava.

Tem várias salas representando um tema entre elas onde estão guardados os restos mortais dos inconfidentes.

Um tronco onde ocorria o castigo mais rigoroso que os escravos eram submetidos.

Museu da Inconfidência: Principal Atração Turística de Ouro Preto

Foto do Museu da Inconfidência de Ouro Preto.
Museu da Inconfidência, Foto: Wikipédia

O Museu Inconfidência de Ouro Preto foi construído entre (1875) a ( 1846) e guarda maior acervo do movimento conhecido como Inconfidência Mineira.

Que pretendia a independência do Brasil de Portugal inconformados pela alta carga de impostos implantados pela coroa.

O movimento foi descoberto pela delação de Joaquim Silvério dos Reis um dos inconfidentes contratador de ouro inadimplente com a coroa.

Sua delação foi em troca do perdão da dívida, sua denúncia ocorreu em meados de (1789), em 7 de maio desse ano abriu o processo conhecido como Autos da Devassa.

Que culminou com o exílio dos inconfidentes e a sentença de morte de Tiradentes.

A essência da cidade de Ouro Preto é Inconfidência Mineira, o museu possui no seu acervo aproximadamente 4 mil peças.

Segundo o ex curador Ruy Mourão que passou mais de quarenta anos na administração do museu.

Grande responsável por ter colocado o monumento entre os mais visitados do Brasil

Existiram dois Museus da Inconfidência em Ouro Preto , o antigo e o atual, o antigo não era Museu dos Inconfidentes.    

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Museus ( IBRAM ) órgão do governo federal.

O Museu da Inconfidência de Ouro Preto foi o segundo do Brasil mais visitado em 2018 perdendo apenas para o Museu Imperial de Petrópolis.  

Inconfidência Mineira Chama Mais Atenção do que a Verdadeira Independência

O principal acontecimento por ter nascido o Museu da Inconfidência de Ouro Preto foi quando Getúlio Vargas mandou trazer da África os restos mortais dos inconfidentes e os enterraram dentro do monumento.

O fato da Inconfidência Mineira está muito bem exposto no museu.

O brasileiro não pode deixar de visitar o Museu da Inconfidência em Ouro Preto e ver de perto tudo que existe sobre o movimento.

Esse é o convite que Ouro Preto faz, ele tem que ver suas raízes de verdadeiras da nação brasileira.

O movimento dos Inconfidentes foi muito importante para independência do Brasil, essa revolta nasceu do povo.

A verdadeira independência em ( 1822 ) proclamada por D. Pedro I foi exatamente o contrário.

D. João VI veio para o Brasil com medo de Napoleão escoltados pelos ingleses.

Estavam lutando para comercializar diretamente com o Brasil não podiam.

O comércio brasileiro só era realizado com Portugal, foi o momento que ouve uma intervenção da Inglaterra.

Convenceram Portugal que a independência do Brasil era inevitável devido ao crescimento do país.

Era conveniente que Portugal fizesse uma coisa diplomática

Exigiram o livre comércio com o Brasil, considerado o estopim da independência.

A verdadeira independência não veio de um movimento de descontentamento popular como o da Inconfidência.

Se não fosse o contexto pelo qual passava a Europa a independência poderia acontecer mais tarde.

Quem leu o livro ” Amores Brasileiro da escritora Ana Amélia Mello Franca, (2013) , editora Clube de Autores, 295 páginas.

Lembra dessa passagem ” É impossível falar de Minas Gerais sem mencionar Inconfidência Mineira, primeira revolta contra a dominação portuguesa no Brasil. “

Getúlio Vargas foi o Grande Mentor do Museu da Inconfidência de Ouro Preto

O Museu da Inconfidência foi inaugurado em (1936 ) por Getúlio Vargas.

A ideia não era construir um museu, era criar um local em Ouro Preto para homenagear os inconfidentes. .

Passou a responsabilidade para o IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). 

Para surpresa do órgão nada se achava referente a Inconfidência.

Diante do desavio o IPHAN lançou uma campanha a nível nacional.

Para saber o que havia de documentação sobre o movimento, constatou que tinha pouca coisa.

Ruy Mourão o grande responsável por ter colocado o museu entre os mais visitados no Brasil.

No início o museu era somente uma sala com o nome “ Documentos da Inconfidência”, essa sala correspondia ao Museu da Inconfidência da época, quase nada tinha para ser mostrado.

Se não fosse Getúlio Vargas provavelmente não existiria o Museu da Inconfidência em Ouro Preto .

Seu empenho foi tanto que além de trazer os restos mortais dos inconfidentes para cidade.

Trouxe também para cidade peças da Forca de Tiradentes e peças do Auto da Devassa para ajudar preencher a sala.

Essa dificuldade de encontrar peças e documentos faz sentido, estamos falando do ano (1760) de uma vila de forasteiros onde o objetivo era tirar ouro ficar rico e voltar para casa.

O descaso era tanto que o IPHAN não achou nem um documento explicando no mínimo como era o processo usado para extrair ouro.

Plínio Salgado era o maior influenciador na criação da sala, queria construir simplesmente um local em Ouro Preto para homenagear os grandes heróis sem montar o cenário político, social e cultural da época.  

A intenção de Plínio era construir uma sala para cultuar os inconfidentes sem falar do contexto, se chegasse um turista estrangeiro e perguntasse: O que esses homens fizeram?  Ficava sem resposta.

Principais Detalhes da Fachada do Monumento da Inconfidência de Ouro Preto

O prédio do Museu da Inconfidência de Ouro Preto começou a ser construído em 1785 e levou 70 anos para ficar pronto.

Seu projeto foi elaborado pelo governador da Capitania de Minas Gerais Luiz da Cunha Menezes

O projeto foi feito para ser a casa de câmara de Ouro Preto tipo câmara dos vereadores.

Como na época a câmara tinha que ser junto com uma cadeia.

Ele projetou a edificação com dois andares, no primeiro a cadeia, no segundo a câmara.

Chafariz Em Cantaria na Parte Frontal do Prédio

Foto do chafariz de frente a fachada do Museu da Inconfidência
Chafariz, Foto: Museu da Inconfidência

Na frente do monumento existe um belo chafariz conhecido como Chafariz da Cantaria se destacando na fachada principal.

Na época poucas casas tinham água o que predominava eram os chafarizes.

No ano de 1724 foi inaugurado um chafariz de frente o Museu da Inconfidência onde funcionava a cadeia e a Casa de Câmara.

Segundo documentos esse chafariz foi substituído pelo atual em 1744 chamado de Chafariz da Praça Tiradentes de Villa Rica .

No chafariz está escrito ” inaugurado em 2 de dezembro de 1846, 21º aniversário de S. M. o Sr. Dom Pedro II.

Por ordem do Presidência da Província Quintiliano José da Silva.”

Não sai água nesse chafariz , dos lados ha guarnições e bacias em forma de retângulos com pedras lado a lado.

Na parte inferior fica a taça artística e os embasamentos.

Dentro de um cercado ficam duas carrancas com flores ao redor.

Janelas da Antiga Cadeia

Se posicionando de frente a cadeia é visível, são várias janelas enxadrezadas de ferro no primeiro andar.

O prédio é do tipo clássico que sobrepõe a elementos barrocos e rococós persistentes, (Dora Alcântara).

Estilo clássico é aquele onde o conjunto dos elementos que decoram a edificação.

Tem origem na antiguidade no apogeu da cultura grega e romana.

No período do Barroco predominavam edificações com abóbadas, arcos contrafortes extravagantes.

A Igreja São Francisco de Assis é considerada obra máxima desse tipo de construção com seu teto exuberante tendendo ao infinito.

No projeto do Museu nada de rococó, nada de barroco o governador foi buscar inspiração na antiguidade.

Quatro Virtudes Cardeais

Foto das quatro virtudes cardeias no Museu da Inconfindência
Quatro Virtudes, Foto: Senac Minas

O visitante pode ver um tipo de decoração fincada nos quatro pontos do monumento.

São as quatro virtudes cardeais, justiça, temperança, fortaleza e prudência.

  • Prudência é uma atitude nobre devido os cuidados que o ser humano deve dedicar as pessoas e a tudo nesse mundo.
  • Justiça é a vontade de dar aos outros o que é de direito sem prejudicar terceiros.
  • Fortaleza é a firmeza nas decisões, é o equilíbrio emocional, a confiança na vitória.
  • Temperança É o auto-controle, auto-domínio, renúncia, moderação. 

Principais Atrações Internas do Museu da Inconfidência de Ouro Preto

Em dois mil três realiza pela primeira vez a grande reforma na exposição do acervo, sendo o edifício aberto em dois mil e seis.

Na opinião dos especialista essa mudança que ocorreu em 2003 na perspectiva paisagística chegou ao verdadeiro Museu da Inconfidência.

Agora é um museu que estuda Ouro Preto e a Inconfidência.

O novo projeto museográfico passou contemplar a formação da cidade de Ouro Preto.

Ouro Preto e a cidade dentro do museu como? O prédio tem dois andares, no primeiro andar tem a evolução social, política e econômica da antiga Vila Rica.

O segundo andar ficou reservado com a superestrutura consequência dessa evolução política, social e econômica que é o estudo da arte, cultura e da religiosidade naquele período.

Primeiro Andar

Nesse andar o visitante vai conhecer como era Ouro Preto no tempo do ciclo do ouro, como era a infraestrutura.

Além de rico acervo em relação a exploração do metal o primeiro andar mostra maior acervo sobre a Inconfidência Mineira no mundo.

Uma característica peculiar do Museu da Inconfidência que além do acervo tem os espaços temáticos conhecidas como salas.

Sala das Origens

É um espaço que mostra como Vila Rica como era chamado Ouro Preto foi desbrava envolvendo os bandeirantes e os povos indígenas.

As peças indígenas estão expostas e como era de esperar as mais arcaicas do monumento suas armas como flechas entre outras.

As armas dos bandeirantes eram bem mais evoluídas como garruchas entre outras.

Nesse local chama atenção uma escultura grande em madeira conhecida Santíssima Trindade.

Obra de autoria de Francisco Xavier de Brito.

A obra mostra a força da igreja aliada fiel da coroa com uma ilustração no centro com quadros sendo :

  • Dona Mariana Vitória (Rainha de Portugal).
  • Dom Pedro III (Rei de Portugal)
  • Dona Maria I (Rainha de Portugal)
  • Dom José (Príncipe do Brasil),

Sala da Mineração

Mostra como a cidade era na época da Mineração.

Tem uma maquete que mostra como era extraído o ouro através de uma maquete.

São mostrados três maneiras como era extraído o ouro:

  • Quando os bandeirantes chegaram na região o ouro brotava na superfície conhecido como ouro de aluvião, os garimpeiros ficavam garimpando na beira dos rios e usavam materiais rudimentares de madeira e de pedra.
  • A segunda maneira eles cavavam caminhos no alto das montanhas e construíam tanques debaixo, esperavam chover e quando chovia pegava aquela lama misturada com ouro nos tanques e através da decantação faziam a separação.
  • A terceira maneira era através das minas subterrâneas que já era um processo que exigia mais técnicas e foi um dos mais empregados na região para extração de ouro.

Na sala existem muitos objetos usados na extração do ouro como balanças, arcas para transporte do ouro etc.

Na sala mostra os instrumentos usados para castigar os escravos como correntes, algemas etc.

É uma sala que mostra vários elementos ligados a mineração, inclusive mostra pepitas de ouro escura de onde surgiu o nome Ouro Preto.

As pepitas de ouro encontradas na região não brilhavam como o dourado do ouro.

Ouro Preto possui esse nome graças ao ouro da região que encontrado na forma de pepitas de cor preta que era óxido de de ferro.

Todas as vezes que iam se referir a região diziam a região do ouro preto.

Sala da Obscuridade, do Brasil Dependente

Essa sala mostra peças e cenários do Brasil dependente, do barroco, da obscuridade, da contra-reforma.

Do absolutismo real, da falta dos direitos humanos, dos direitos individuais.

Sala do Brasil Independente

Toda iluminada pintada em branco para mostrar a influência do Iluminismo sobre os inconfidentes.

É a sala do Brasil independente toda iluminada, pintada de branco representando os novos tempos.

Iluminismo foi um movimento cultural da elite intelectual européia do século XVIII que veio contrariar o pensamento absolutista.

A sala mostra as ideias francesas da enciclopédia que estava sendo pregadas responsáveis pela revolução americana que eram a ideologia dos inconfidentes.

O tema da sala iluminada se estende até o Brasil Imperial independente.

Não tem como passar pelo museu sem visitar essa sala um dos vários atrativos do Museu da Inconfidência.

A chegada do Iluminismo foi um momento de grande importância para cidade.

Foi quando surgiu a Escola de Minas, Escola de Farmácia, telefone, estrada de ferro, fábrica de tecido etc.

Sala Onde Estão Enterrados Restos Mortais dos Inconfidentes

Onde estão enterrados os restos mortais dos inconfidentes, vale a pena conferir.

Não foi possível resgatar os restos mortais de todos e alguns tem sua identidade um pouco duvidosa mesmo com esforço de vários pesquisadores.

Estão identificados e enterrados nessa sala treze dos dos vinte e quatro inconfidentes .

O nome dos inconfidentes pode ser lidos nos túmulos.

Sala dos Transportes

Sala com várias utensílios e móveis que servia como meio de transporte na época, entre elas celas das montarias.

Interessante que a cela feminina era diferente da masculina.

As mulheres usavam saias, para montar nos cavalos precisavam de cela diferente dos homens.

Sala da Construção

Não poderia faltar as ferramentas usadas nas construções da época como pregos, tijolos, canos de pedra sabão, portais, telhas etc.

Os materiais usados nas construções eram basicamente madeira e pedra sabão como na casa dos contos e várias outras construções na época.

As ferramentas expostas são bem variadas maior parte utilizadas na extração de ouro.

Muitas peças em pedra sabão material muito utilizado na região devido suas características físicas.

Entre os entalhes mais famosos de Ouro Preto foram feitos em pedra sabão.

Marco de Sesmarias

No museu tem dois exemplares que fizeram a demarcação do território que ia se instalar Vila Rica.

O museu possui dois marcos que eram feitos de pedra.

Essas longas pedras eram enterrada na região de Vila Rica para marcar terreno no século XVIII.

Nelas escreviam Sesmaria em VR ( Sesmaria de Vila Rica. )

Relógio de Bolso de Tiradentes

Foto do relógio de bolso de Tiradentes acervo do Museu da Inconfidência.
Relógio de Bolso de Tiradentes, Foto:Wikipedia

É um relógio banhado de prata onde estão gravadas suas iniciais : J,J,S.X. 27/02/1780.

Quando Tiradentes foi preso todo seus bens foram catalogados e numerados com isso tornou de certa forma identificar seu relógio.

Selo da Antiga Casa de Câmara de Vila Rica

A antiga Casa da Câmara de Vila Rica ficava instalada no segundo andar do edifício e um dos atrativos que o visitante não pode deixar de ver é o primeiro selo lançado pelos vereadores.

Caneta Tinteiro

É um tinteiro escrivaninha que era usado pelos vereadores da vila que representavam os homens bons.

Fazer parte dos homens bons era fazer parte da elite da vila e havia uma disputa entre eles para ver quem ocuparia os cargos na câmara.

Quiosque Multimídia

Equipamento de uma geração que conta um pouco da história dos inconfidentes muito legal.

Documentos assinados pelos inconfidentes

Tem documento assinado por Alvarenga Peixoto, Tomaz Antônio Gonzaga.

Recibo assinado pelo próprio Tiradentes com custo com animais, Tiradentes além de ser dentista fazia parte da cavalaria De Ouro Preto.

Quadro de Pintura Óleo Sobre Tela “Leitura da Sentença de Tiradentes”

Foto do quadro da Sentença de Morte de Tiradentes exposto no Museu da Inconfidência de Ouro Preto
Quadro da leitura da Sentença de morte de Tiradentes. Foto: Wikipédia

No ano de 2019 chegou ao Museu da Inconfidência o pintura de óleo sobre tela ” Leitura da Sentença de Tiradentes do pintor Leopoldino Faria (1836-1911).

Leopoldino era pintor oficial da Academia Imperial do Rio de Janeiro.

Esse quadro se encontra na sala da Inconfidência Mineira no primeiro andar do edifício.

A tela chama atenção pela moldura de pinho de Riga talhada com acabamento em gesso simbolizando o café.

Tem um coroamento com dois anjos ao lado no estilo barroco e a frase ” Homenagem aos Mártires da Independência- 1792″.

É uma frase referendando a importância da Inconfidência Mineira para independência do Brasil.

Arca de Transporte de Valores

Se encontra na sala de transporte duas arcas de transportes de valores, uma chamada Cangalheta em couro também de transporte de valores

Autos da Devassa

É um volume enorme de documentos que é o processo de julgamento dos inconfidentes.

No processo tem as petições, depoimentos,

Os Autos da Devassa pode ser encontrado completo em várias edições de livros ao longo da história.

Um bom livro para saber tudo sobre o processo que culminou com a sentença de morte de Tiradentes é :

Devassa Aque Mandou Proceder Sua Majestade No Território do Alto Douro Pelo Desembargador Antônio de Mesquita e Moura ( 1771-1775).

Organização de Antônio Braz de Oliveira e Maria José Marinho.

Sentença de Enforcamento de Tiradentes

Que seja levado pelas ruas públicas nessa cidade ao lugar da forca e nela morra de forma natural para sempre.

E que separada a cabeça do seu corpo seja levada para Vila Rica onde será conservada em poste alto junto ao lugar de sua habitação até o tempo consuma seu corpo.”

Esse trecho o visitante consegue ler, vale a pena ver os manuscritos da sentença original de enforcamento de Tiradentes.

Depois da prisão dos Inconfidentes em 1789 abre o processo que foi a té 1782.

Doze condenados a morte, os outros para o exílio.

Entre esses doze onze conseguiram transformar a sentença de morte para o exílio, somente Tiradentes foi condenado a forca.

Após lida a sentença a população carioca ficou chocada e horrorizada.

Jamais uma pessoa tinha sido condenada a forca na cidade do Rio de Janeiro.

Tiradentes quando saiu da cadeia velha atual Assembléia Legislativa Rio de Janeiro.

Veio a pé cortejado pelos soldados da coroa, passando pela Igreja Nossa Senhora da Lampadosa pediu para assistir a missa não deixaram .

Ele se ajoelha na porta, reza e segue até o local da forca atual Esquina de Getúlio Vargas com Nossa Senhora da Paz.

Na época chamava Campo da Lampadúzia, acabou conhecido como Campo da Lampadosa.

Era um carnaval de horrores o que fizeram no cortejo.

Soldados montados a cavalo, animais com fitas coloridas tudo para chamar atenção.

Padres rezando, sinos badalando e a altura da forca era bem grande.

A subida da forca possuía 24 degraus tudo para dizer: ” Não mexam com a coroa.”

Traves de Madeira onde Tiradentes foi Enforcado

Duas traves de madeira comum que chamam atenção simplesmente pelo fato de ter sido usada no enforcamento de Tiradentes.

No Museu da Inconfidência existem duas traves e as outras três estão no Museu Nacional do Rio de Janeiro.

Essas traves foram enviadas por Getúlio Vargas para o Museu da Inconfidência no começo de sua construção.

Buticão que Tiradentes Usava no Ofício de Dentista

Foto de um boticão usado por Tiradentes exposto no Museu da Inconfidência
Buticão usado por Tiradentes. Foto: terra.com

Tiradentes além soldado da Calaria de Vila Rica também a profissão de dentista.

O Buticão que usava para arrancar os dentes está exposto no museu.

Tiradentes era dentista famoso pela habilidade de realizar extrações de dentes com alicates e implantes de arame.

Além das extrações, preparava medicações baseadas em plantas para tratamento dos dentes.

Por ter ficado órfão muito cedo foi criado pelo seu padrinho que era dentista e lhe ensinou o ofício.

O boticão em amostra é um instrumentos antigo cirúrgico encontrado em todas partes do Brasil.

A Sociedade Brasileira de Odontologia o considera o exemplar de Tiradentes o mais antigo que existe.

Segundo Paulo Bueno ex diretor do Instituto Museu e Biblioteca de Odontologia de São Paulo as extrações as vezes eram feitas com as próprias mãos sem anestesia com requintes de tortura.

Túmulo Vazio

Lápide vazia dedicada aos que não vieram.

Túmulo em Memoriam a Tiradentes

Lápide em memoriam a Tiradentes, Joaquim José da Silva Xavier.

Liteira

Essa liteira está na Sala dos Transportes chama bastante atenção pelo formato tipo uma casa que carregava os nobres puxada por dois animais.

Parece com uma cadeira portátil com dois modelos básicos:

  • Quase toda aberta.
  • Quase toda fechada.

Essa cadeira era pregada em duas madeiras laterais como um animal na frente e outro atrás carregando a cadeira portátil.

Quem usava esse meio de transporte era pessoas nobres copiando Roma antiga.

Quando não eram animais a liteira era transportadas por escravos.

Armas de Fogo

Estão na sala dos transportes, vários tipos de armas, na época quem ia viajar tinha que ir bem armado para se defender, assaltos eram frequentes.

Primeiro dicionário editado no Brasil

No museu estão os manuscritos originais, não deixe de ver o primeiro dicionário editado no Brasil, em Ouro Preto.

Urna Onde Depositavam Votos

Pergunte onde fica a urna que era depositado os votos para eleição dos vereadores.

O visitante vai admirar pelo minúsculo tamanho da urna e pela sua beleza, toda decorada em prata.

Roupas

Não esqueça deixe de ver as roupas da época, estão expostos a casaca do rei e uma roupa de criança, imagine uma criança brincando, pulando vestindo essa roupa.

Candieiro

Era objeto que fornecia luz, portátil que, por conter um líquido inflamável e um pavio era usado para iluminar.

Uma estrutura onde colocava combustível para fornecer luz.

Palmatórias

Usada para castigar escravos e crianças artiosas.

Tronco de Punição aos Escravos

Esse troco de madeira era uma das formas mais cruéis de castigo aos escravos.

Era um instrumento não de castigo, de tortura e humilhação, com função semelhante à do pelourinho.

Era uma composição formada por madeira com buracos.

Geralmente eram colocados em locais públicos a título de exemplo.

Foi usado na Europa e nos Estados Unidos até ao século XIX.

Mesa Usada Para Reuniões dos Inconfidentes.

Veja a mesa que os inconfidentes usaram para conspirar contra coroa.

Segundo Andar

Nesse andar é a super-estrutura contextuando a infraestrutura do segundo andar, é o movimento da arte e influência da igreja etc.

No segundo andar tem três salas com temas ligados a religiosidade.

Naquela época a igreja exercia um papel social muito importante em Ouro Preto.

Era quem pagava os operários, empregava arquitetos, pintores, escultores, entalhadores, bordadeiras, prateiros etc.

Isso ajudou promover o desenvolvimento da arte em Ouro Preto.

Esse espaço é mostrar a cultura a arte e o contexto social na época da Inconfidência Mineira.

Não tem como falar de Inconfidência Mineira sem falar do contexto.

Nada mais importante do que dar ao visitante oportunidade de conhecer as peças, pinturas, esculturas etc.

Que era a forma que elas tinham de se expressarem.

Sala das Associações Leigas

Associações Leigas significa que Portugal não permitiu em Minas Gerais organização de conventos e instalações de qualquer ordem para evitar problemas com o ouro.

A homenagem a Associações Leigas é pela atividade assistencial que exercia, ajudava os mais necessitados, contratava entalhadores, arquitetos etc.

Sala do Triunfo Eucarístico

Quando foram reformar a Matriz Nossa Senhora do Pilar o Santíssimo foi levado provisoriamente.

Para a Igreja do Rosário, quando a obra terminou o santíssimo teve dificuldades de retornar.

Com isso criaram uma grande expectativa em torno desse assunto, desse acontecimento existe no museu várias peças de artes importantes como poemas, pinturas, esculturas etc. Que acabou produzindo um choque de religiosidade.

Sala do Aleijadinho

Antônio Francisco Lisboa viveu de (1738  a 1814.)

Era filho de uma escrava com um mestre de obra português. Iniciou sua vida artística ainda na infância e se tornou um dos maiores escultores brasileiros de todos os tempos.

Todas peças são originais com exceção do profeta Daniel que é uma réplica.

Uma das peças que mais destaca é a imagem de São Jorge toda articulada para quando saísse nas procissões.

Era colocado numa das celas expostas e o colocava em cima de um cavalo.

A sala indica todo caminho percorrido na sua obra, tem plantas inéditas de seus projetos que só existem no Museu da Inconfidência, foram únicos que sobraram.

Sala dos Móveis

Um móvel pode ser de uma beleza encanadora, trabalhado, adornado, de madeira de lei etc.

Geralmente essa beleza não é percebida por causa das jóias, dos enfeites que são colocados por cima.

Pensando nesse detalhe o Museu da Inconfidência criou uma sala somente para mostrar os móveis da época que são lindo diga de passagem.

Muitos móveis de madeiras se destacam como oratório, andores esculpidos, mesas de peroba, guarda louça em cedro, baús em jacarandá.

Armários, banco de canto, um tipo de cama estendida usada para pessoas doentes e idosos.

Cômoda tipo mesa, cadeiras grandes famosas em casamentos e outros tipos de cerimônias, uma esquife onde carregavam defuntos.

Esse móveis pintados de influência portuguesa foram substituindo os móveis entalhados bem mais caro.

Outros tipos de móveis que chamam atenção são os pintados imitando mármore, vale a pena visitar.

Sala de Ataíde

Foto de Pintura do Mestre Ataíde,
Pintura do Mestre Ataíde, Foto:

Também recebeu uma sala o pintor Mestre Ataíde, onde tem várias de suas obras.

Manoel da Costa Ataíde nasceu na cidade Mariana considerado o maior pintor do ciclo do ouro com obras em várias igrejas de Minas Gerais, pouca gente sabe o Mestre Ataíde era militar.

Formou uma verdadeira escola de seguidores na sua época divulgando o estilo barroco rococó mineiro.

No Museu da Inconfidência tem muitas pinturas do Mestre Ataíde.

Suas preciosidades porém são encontradas em várias igrejas de Minas gerais como a Igreja São Francisco de Assis de Ouro Preto.

Entre suas técnicas a mais famosa é o uso da perspectiva onde os fiéis pensam que a igreja se movimenta quando estão no seu interior.

Pouca coisa acabou sendo registrada de sua vida particular e formação artística.

Não tem como visitar o museu sem passar na Sala dedicada ao Mestre.

Segue uma lista das principais obras do Mestre Ataíde:

  • Deus promete a Abraão multiplicar sua descendência.
  • Anjos músicos
  • A Virgem entrega o Menino Jesus a Santo Antônio de Pádua
  • A Flagelação de Cristo
  • Batismo de Cristo
  • Assunção da Virgem 
  • A Última Ceia
  • Crucifixion of Christ
  • A Coroação da Virgem pela Santíssima Trindade 
  • Nossa Senhora da Porciúncula
  • Anjos 
  • Agonia e Morte de São Francisco
  • Abraão Adora os Três Anjos
  • A Coroação da Virgem pela Santíssima Trindade
  • Nossa Senhora do Carmo e São Simão Stock
  • Ascensão de Cristo

Pinturas, Esculturas do Século XVII ao XVIII

Tem outra sala que expõe pinturas e esculturas de século XVII ao século XIX o que acaba dando uma visão social, cultural e religiosa da época.

Nessa sala o visitante vai se encantar com as pinturas e esculturas do século XII e XVIII.

Nessa época a arte já estava em pleno desenvolvimento na região litorânea do Brasil.

No interior somente em alguns pontos isolados justamente nas cidades produtoras de ouro como Ouro Preto, Sabará, Caeté, Mariana etc.

Começaram no estilo barroco como uma pintura decorativa nas igrejas.

As pinturas e esculturas que o museu conseguiu para seu acervo são tantas que precisaria de no mínimo metade de um dia para passar os olhos.

São obras de vários artistas de Ouro Preto e região, muitas delas vieram do litoral.

Não dá para deixar de ver essa sala de pinturas e esculturas do século XVII e XVIII.

Coleção de Marfim e Pedra Sabão

Duas coleções importantes se destacam, uma de marfim que era naturalmente de origem portuguesa com o famoso marfim de Macal.

E outra de pedra sabão de um artista da cidade vizinha de Mariana, o artista era do distrito de Furquim, produziu uma obra importantíssima, assinava as siglas L.C ninguém sabe até hoje quem foi.

Loja do Museu

Nessa loja encontra publicações sobre arte, cultura mineira e brasileira, lembrancinhas.

Café do Museu

Antes de encerrar a visita vale a pena tomar um cafezinho no café do museu e as deliciosas guloseimas.

Auditório do Museu

Para quem gosta de assistir um bom filme nas sessões de mini-clubes com acesso gratuito a uma rica evolução cinematográfico que inclui clássicos do cinema brasileiro e grande filmes estrangeiros.

Casa do Pilar do Museu da Inconfidência

É uma casa anexa ao Museu dedicada a preservação e pesquisa de documentos e livros do acervo.

No arquivo histórico o museu tem um acervo muito importante formado na maior parte por documentos originados de cartórios.

O acervo é destinado a pesquisas, aqui se destacam alguns documentos como um manuscrito do poeta Cláudio Manoel da Costa.

São dois poemas que ele escreveu em homenagem ao governador da capitania na época o Conde de Valadares.

Tem algumas folhas do poema Vila Rica assinado por Cláudio Manoel da Costa com data de (1773).

Biblioteca do Museu

É uma biblioteca especializada em história, literatura e artes tendo como foco principal a história de Minas Gerais do Brasil e da Inconfidência Mineira.

Uma das obras mais pesquisadas são os Autos da Devassa, tem no museu a primeira edição que é de 1936.

Editada pela Biblioteca Nacional ocasião do repatriamento das ossadas.

Regras, Horários de Funcionamento, Venda de Ingressos

Horário de Funcionamento

  • O museu funciona de terça feira a sexta de 10:00 hs às 18:00 hs.
  • Sábados: De 10:00 hs às 16:00 hs.
  • Domingos: De 9:00 hs às 14:00 hs.

Regras e Venda de Ingresso do Museu Inconfidência de Ouro Preto

Inteira: R$ 10,00.

  • Meia entrada: Estudantes, professores, maiores de 60 anos e moradores de Mariana/MG) pagam meia entrada R$ 5,00.
  • Para visitar e comprar ingresso tem que ser uma hora antes do fechamento.
  • Não é permitido tocar no acervo em exposição.
  • É proibido entrar com bebidas, lanches e garrafas de água.
  • A visita deve ser realizada respeitando as normas.
  • Pessoas portadoras de necessidades especiais podem pedir ajuda a equipe do museu.
  • Importante: A equipe do museu não são guias, são protetores e guardas do acervo.
  • Somente cão guia é permitido, nenhum outro animal.
  • Visitas mediadas e guiadas tem que ser agendada nas terça feira e sexta feira através do e-mail visitasmuseu@gmail.com.
  • As mensagens devem ser enviadas para mdinc@museus.gov.br
  • Se o visitante retornar marcar visita com a recepção.
  • No prédio existe guarda volume.
  • Menores de idade só podem visitar acompanhados pelos responsáveis.
  • Quem quiser fazer sugestão ou elogios basta procurar o livro de registro que se encontra na recepção.
  • O pagamento pode ser antecipado com o recolhimento da GRU e enviado pelo e-mail mdinc@museus.gov.br com apresentação do recibo para acessar o museu.
  • Para pesquisas e consultas deverá haver agendamento prévio pelo telefone Telefone: 31-3551-1378.

Quem não Paga Para Visitar o Prédio do Museu da Inconfidência de Ouro Preto ?

1-Menores de 7 anos.

  • Prioridade de visita para maiores de 80 anos e portadores de necessidades especiais com e 01 (um) acompanhante.
  • Estudantes e professores de escolas públicas autorizadas previamente, solicitado pela instituição, e-mail: mdinc@museus.gov.br.
  • Visitas oficiais com agendamento prévio e conhecimento da Direção.
  • Sócios do ICOM – International Council of Museum,
  • Servidores do IBRAM e do IPHAN.
  • Estudantes de Museologia e museólogos sempre com apresentação de carteira funcional ou outro comprobatório.
  • Guias de Turismo portando a carteira emitida pelo Ministério do Turismo.
  • Moradores de Ouro Preto e estudantes da UFOP com apresentação de documento comprobatório (conta luz, água e outros) e identidade.
  • Portadores do cartão Vale-Cultura, com até 02 (dois) acompanhantes.
  • Apresentação do ingresso é para todas as pessoas, mesmo os isentos de compra para controle.

Quantas Pessoa Podem Visitar o Museu de Uma Vez?

  • 50 a 55 é o número máximo de pessoas para agendamento de visita acompanhados por guia.
  • Fotografar e firmar somente com celular sem flash sem fins comerciai

Breve Cronologia do Museu da Inconfidência de Ouro Preto

  • ( 1785 ) No dia primeiro de junho o governador da Província de Minas Gerais Luiz da Cunha Menezes começa a execução da obra.
  • O prédio foi projetado pelo próprio governador com dois andares, no primeiro a cadeia no segundo a Casa de Câmara de Vila Rica.
  • ( 1862 ) Casa de Câmara e a Cadeia deixam definitivamente o prédio que passa funcionar apenas como prisão.
  • ( 1907 ) Reforma para  transformá-lo numa penitenciária a nível estadual
  • ( 1938 ) Doação do edifício à União, em 20 de dezembro é criado o Museu da Inconfidência por Getúlio Vargas.
  • ( 1942 ) Nas festividades da semana dos inconfidentes é inaugurado um local para colocar os restos mortais de alguns deles, no ano de 1936 os inconfidentes foram repatriados.
  • ( 1944 ) Nessa data o museu abre para visitação sob o comando do cônego Raymundo Trindade, comemorava o bicentenário de nascimento do poeta inconfidente Tomás Antônio Gonzaga.
  • ( 2006 ) Museu é reaberto com novo projeto paisagístico, feito pelo ex-diretor Rui Mourão, o projeto museográfico ficou a cargo do francês Pierre Catel.
  • ( 2009 ) Museu que pertencia ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN passa ser ligado ao Instituto Brasileiro de Museus.
  • ( 2017 ) Museu ganha bilheteria e recepção com atendimento bilíngue.
  • ( 2019 ) Vinda para Ouro Preto o quadro “ Leitura da Sentença de Tiradentes” em data comemorativa dos 230 anos da Inconfidência Mineira.

Gostou da visita? Espero que sim.

Foram muitas dicas, com certeza deu para dar uma ideia da beleza do Museu da Inconfidência.

E o relógio de bolso de Tiradentes? Muito legal.

Não deixe de comentar, sem ele fico sem saber se as pessoas estão gostando ou não do meus textos.

Autora: Denise Bittencourt.

No Comments Yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *